Notícias
07/02/2014 às 10:59
2013: um ano histórico na Canoagem Brasileira Grandes com resultados internacionais
Grandes resultados internacionais, realização de importante eventos internacionais no país e desenvolvimento do esporte marcaram o ano na CBCa

Canoagem Velocidade e Paracanoagem comemoram resultados em 2013
Conquistas culminam com entrega do Bolsa Pódio do Ministério do Esporte


Os Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016 são a meta dos atletas que receberam recentemente os certificados do Bolsa Pódio – iniciativa do governo federal para o aprimoramento dos atletas com mais chances de conquistar medalhas para o Brasil.

Para o canoísta Nivalter Santos, até 2016, o grupo todo fará da Canoagem uma potência do esporte brasileiro: “nossa intenção é levar o esporte ao mais alto do pódio”, afirma, confiante. Ele e os outros três atletas da seleção brasileira de Canoagem Velocidade – Canoa – Erlon de Souza, Ronilson de Oliveira e Isaquias Queiroz são contemplados pelo programa.

Erlon de Souza, com o companheiro de C2 (canoa para dois atletas) Ronilson Matias de Oliveira, conhece os desafios de uma competição olímpica, pois ambos foram representantes brasileiros nos Jogos Olímpicos Londres 2012. Para Erlon, 2013 está sendo um ano excelente para a Canoagem Brasileira: “Tivemos um desenvolvimento muito grande graças ao resultado de todo o investimento que vem sendo feito”.

O BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) é o patrocinador oficial da Canoagem Brasileira, o que tem sido decisivo no crescimento do esporte no país. A Canoagem também conta com os apoios significativos do Ministério do Esporte, Comitê Olímpico Brasileiro, Comitê Paralímpico Brasileiro e Itaipu Binacional.

Vitórias
: Neste ano, a dupla Erlon e Ronilson trouxe ao Brasil uma medalha de ouro e outra de prata da 3.ª Etapa da Copa do Mundo de Canoagem Velocidade na Polônia, e outro ouro do Sul-americano de Canoagem Velocidade e Paracanoagem no Chile.

Já a conquista de um ouro e uma prata por Isaquias Queiroz, no Mundial de Canoagem Velocidade da Alemanha, marcou o ano para o esporte, e muito desses resultados se deve à chegada, em maio, do técnico espanhol Jesús Morlán. Ele é um dos treinadores mais vitoriosos do mundo, com cinco medalhas olímpicas e dez mundiais no currículo.

Na Paracanoagem, Fernando Fernandes se tornou tetracampeão no K1 A Masculino no mesmo Mundial da Alemanha. Com ele, receberam os certificados do Bolsa Pódio os paracanoístas Luis Carlos Cardoso e Marta Ferreira. Outros ótimos resultados conquistados na Alemanha foram as medalhas de ouro de Caio Ribeiro, campeão mundial no V1 Masculino LTA; e o bronze de Tamara Oliveira no V1 Feminino TA, dois resultados inéditos do Brasil no esporte e que credenciam a Canoagem Brasileira entre as potências mundiais da Paracanoagem.
 
Para o presidente da Confederação Brasileira de Canoagem (CBCa), João Tomasini Schwertner, o trabalho da Confederação, o apoio essencial dos parceiros e a garra e a motivação dos atletas dão muita confiança no prosseguimento do planejamento traçado rumo aos Jogos Olímpicos e Paralímpicos Rio 2016. “Temos certeza que com este espírito de equipe ainda conquistaremos muitos outros importantes resultados para o Brasil”, declara.
 
Desenvolvimento técnico: Buscando a excelência técnica do corpo de profissionais da Canoagem Brasileira, a CBCa em parceria com o Comitê Organizador Rio 2016 ofereceu todas as condições aos árbitros brasileiros trabalharem como árbitros e observadores durante o Campeonato Mundial Junior & Sub-23 de Canoagem Velocidade 2013, no Canadá; o Campeonato Sul-americano, no Chile; e também durante os Jogos Sul-americanos da Juventude e os Jogos Bolivarianos, no Peru, em virtude da participação destes profissionais nos Jogos Olímpicos Rio 2016.
 
O mesmo foi oferecido pelo Rio 2016 aos árbitros de Canoagem Slalom acompanharem o Campeonato Mundial Sênior de Canoagem Slalom 2013, realizado na República Tcheca; o Campeonato Pan-americano, no México; e também o Mundial Junior & Sub-23, na Eslováquia. Lá participaram do evento também como árbitros e observadores com o objetivo de se atualizarem sobre a organização de um campeonato de ponta. Todo este conhecimento adquirido também foi oferecido e compartilhado no Curso de Formação de Árbitro Nacional de Canoagem Slalom e Canoagem Velocidade realizado pela CBCa.


2013, um ano para ficar na memória da Canoagem Slalom
Atletas brasileiros obtém bons resultados internacionais, conquistados graças a esforço e estrutura recebida
 
Falta pouco para terminar 2013, mas o ano já deixa saudades para a Canoagem Slalom Brasileira. A maior conquista, sem dúvida, foi no Campeonato Mundial Júnior realizado em Liptovsky Mikulas, na Eslováquia, quando a atleta olímpica Ana Sátila conquistou medalha de bronze no C1 Feminino Júnior. Ela fez o tempo de 145s43, 2s19 atrás da campeã, a alemã Karolin Wagner com 143s24, muito perto da segunda colocada, a tcheca Anna Koblencova (144s43). Nessa competição, mais de 500 atletas de 45 países participaram. Para a canoísta, o longo período na Europa favoreceu os bons resultados: “treinamos por muito tempo e conhecemos as pistas. Tive uma excelente temporada e uma grande realização particular”.


PUBLICIDADE
CONTATO